Retalhistas exigem igualdade fiscal para Amazon e Alibaba

A Asedas, organização que defende os interesses de grandes retalhistas como Dia, Mercadona, Covirán e Ahorramás, está a exigir que a actividade de plataformas de comércio online seja regulada da mesma forma e segundo as mesmas regras.

De acordo com Ignacio Garcia Magarzo, director-geral da Asedas, é necessário reclamar condições de estabilidade e uma estrutura regulatória e fiscal que seja aplicada a todos os operadores. «É um debate que está a acontecer na União Europeia e que terá de acontecer com mais profundidade», afirma o mesmo responsável, citado pelo jornal espanhol El Economista.

Sobre o crescimento do comércio online e de plataformas como Amazon e Alibaba, que opera através da Aliexpress, Ignacio Garcia Magarzo assegura que «ou a venda online é rentável ou não será sustentável». Em declarações reportadas pela mesma publicação, o responsável adianta que o desenvolvimento do comércio online «é compatível no futuro com o comércio de proximidade» e que não vê um a ser substituído pelo outro.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest