Font Salem: «A China é o nosso principal mercado»

A Font Salem vai investir 40 milhões de euros na fábrica que detém em Santarém. Rumo a 2020, a fabricante espanhola de marcas de distribuição e co-packing do Grupo Damm prevê duplicar a produção e ganhar escala, naquela que passará a ser a unidade de referência da empresa que exporta 65% da sua produção em Portugal.

Texto de Helena Rua

Foto de José Guerra

Antoni Folguera, administrador e director-geral da Font Salem, avança que a China é o principal mercado do grupo «porque a cerveja portuguesa tem muito boa imagem». América do Sul e África são também regiões estratégicas para a Font Salem, que produz marcas como a Tagus.

Como é que fornecem o mercado chinês? Estamos a falar de um país com mais de 1300 milhões de pessoas…

É impressionante. Se quiséssemos concorrer no mainstream do consumo de cerveja na China não teríamos capacidade, nem no presente, nem no futuro. Não podemos imaginar a quantidade de cerveja que os chineses bebem. É verdade que eles têm importação, que é aproximadamente uns 5% do seu consumo, mas estes 5% são importantíssimos, é como todo o consumo de Portugal num ano (…).

Não tem o problema das “cópias” pelos fabricantes chineses?

Há muita tendência para copiar, é verdade, mas o consumidor chinês valoriza muito o que é importado. Se o fabricante tiver um certificado de origem, como é o nosso caso, já dá tranquilidade ao cliente do nosso distribuidor, que fica a saber que é um produto completamente original. Na cerveja, por exemplo, a chave do sucesso do pull off na China é o facto de ser o único formato que garante que quando é aberto não pode ser fechado de novo.

Este artigo foi publicado na edição de Março de 2018 da revista Executive Digest.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest