Sobreviver à crise do segundo ano

A proporção que abandona o cargo por “motivos de desempenho no 2º ano” é surpreendentemente elevada. É um período que pode ser chamado de “sophomore slump” (crise do segundo ano), quando os intervenientes reduzem o seu limite de tolerância, e quando os próprios CEOs poderão sentir a sua visão ambiciosa ser contrariada, sentindo-se desmotivados com o reduzido ritmo de mudança da organização.

A sobrevivência ou não dos CEOs está bastante dependente da confiança que conquistam com as suas medidas iniciais.

Leia este artigo na íntegra na edição de Março da Executive Digest

Recomendar
  • gplus
  • pinterest