Estrangeiros investem mais em habitação do que portugueses

No último ano e meio, os cidadãos estrangeiros que compraram casa em Lisboa investiram, em média, 338 mil euros. Os dados dizem respeito apenas às 11 freguesias monitorizadas pelo SIR-Reabilitação Urbana.

Em comparação, os portugueses que compraram habitação nas mesmas freguesias investiram, em média, 244 mil euros. Trata-se de um valor cerca de 40% abaixo do investido por estrangeiros.

De acordo com a Confidencial Imobiliário, que divulga os dados, existe ainda uma diferença visível no perfil de aquisições no que respeita ao peso de cada um: os estrangeiros têm uma quota de 18% no número total de aquisições (1300 em 7300) e de 24% no valor total investido. Assim, os estrangeiros geraram cerca de 446 milhões de euros do total de 1,9 mil milhões de euros transaccionados em habitação, nos últimos 18 meses na área analisada.

Quanto às zonas preferidas, o eixo Alcântara-Ajuda-Belém é o menos destacado. O Centro Histórico e envolvente, por seu turno, contam com uma média de investimento internacional mais elevada: 30 e 19%, respectivamente.

Ricardo Guimarães, director da Confidencial Imobiliário, comenta que «os chineses continuam a ser uma fatia essencial das compras de habitações em Lisboa, bem como os franceses». No geral, registaram-se transacções por parte de pessoas de 84 países.

«O que estes últimos dados mostram é o emergir de outras nacionalidades, destacando-se a brasileira e a turca, e esta nova realidade traz uma perspectiva de elevada segurança à dinâmica estabelecida, mostrando que a cidade pode ser resiliente a eventuais quebras de procura de uma ou outra proveniência. E, mais do que isso, confirma a consolidação de Lisboa enquanto destino de investimento internacional», conclui o mesmo responsável.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest