Vodafone e Nos fecham acordo de partilha de fibra

A mais recente parceria entre a Vodafone e a Nos vai permitir alargar o alcance da fibra de última geração a mais 2,6 milhões de famílias e empresas em Portugal. O acordo de desenvolvimento e partilha de infra-estrutura é de abrangência nacional, segundo avançam as duas operadoras, e irá permitir a disponibilização das suas ofertas comerciais, sob rede partilhada, a partir do início do próximo ano. A união das duas empresas poderá ser uma resposta ao interesse da Altice em adquirir a Media Capital – o parecer da ERC relativamente ao negócio deverá chegar até ao próximo dia 10.

Em comunicado, a Vodafone explica que o acordo inclui a “partilha recíproca de fibra escura em cerca de 2,6 milhões de casas, em que cada uma das entidades partilha com a outra um valor equivalente de investimento”. Além disso, está assegurada a partilha mínima de 200 torres móveis.

No caso da Vodafone, a parceria permitirá chegar a mais 1,3 milhões de famílias e empresas, fazendo com que a empresa totalize aproximadamente quatro milhões de lares com rede de última geração. A Nos, por seu turno, passará a contar com uma cobertura de rede de nova geração superior a 4,4 milhões de casas até ao final do próximo ano.

Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal, sublinha que o acordo levará a um aumento na concorrência no mercado em benefício dos consumidores nacionais. «A partir de hoje, damos um passo significativo para que todos os portugueses possam ter acesso à melhor oferta do mercado, contribuindo decididamente para a materialização da Sociedade Gigabit em Portugal», conclui, em comunicado.

Para Miguel Almeida, CEO da Nos, trata-se de um passo muito importante no compromisso da operadora com Portugal e com os portugueses. O responsável considera que a expansão da rede de fibra de última geração e o reforço da cobertura móvel são um sinal do investimento da Nos na criação de condições «que, não só permitirão às empresas portuguesas prepararem-se para responder ao desafio da transformação digital, mas também às famílias que terão assim a oportunidade de escolher as melhores ofertas e um serviço de excelência».

Ainda que parceiras, as duas operadoras irão manter a total autonomia no desempenho das ofertas comerciais e na escolha de soluções tecnológicas. Além disso, está prevista também total independência na gestão da base de clientes e a confidencialidade no tratamento da informação dos consumidores.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest