Como se chega a melhor construtora portuguesa

Começou por fabricar chaminés para a indústria têxtil há 125 anos e hoje é uma das empresas com as quais as multinacionais contam para conceber e construir os seus projectos industriais chave-na-mão em Portugal. Liderada pela quarta geração desde 2003, a Garcia, Garcia viu o volume de negócios subir quase 100% em 2016, um número que Miguel Garcia admite poder vir a replicar no próximo ano.

Texto de Helena Rua

Leica, Garland, Bosch e Grandvision são apenas algumas das empresas que contam com a especialização da Garcia, Garcia na concepção e execução de unidades industriais e de logística em Portugal. Miguel Garcia, um dos administradores, conta como é gerir uma empresa familiar.

Quais são as vantagens e desvantagens de ser uma empresa familiar?

A principal desvantagem é trabalharmos com as nossas mulheres, porque é difícil separar as águas. Mas a relação com os meus irmãos é muito boa. Somos completamente diferentes, mas complementamo-nos muito e essa complementaridade é a chave do sucesso. Como somos família partilhamos as mesmas dores, sentimos aquela empresa como sendo a nossa família. Pessoalmente só vejo pontos positivos.

Colocaria a hipótese de contratar um director-geral externo?

Sem dúvida alguma. Mantendo os princípios de uma empresa familiar, os valores que defendemos, sem dúvida nenhuma. A empresa não é nossa, é das pessoas que lá trabalham. Não posso perigar ou fazer perigar 200 famílias só porque tenho um sobrinho ou um filho.

Este artigo foi publicado na edição de Dezembro de 2017 da revista Executive Digest.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest