Uma questão de Soberania!!!

Por Ricardo Florêncio

De vez em quando surgem uns laivos de discussão sobre A “soberania”. Nós somos um país soberano e, como tal, temos o direito de decidir tudo o que tem a ver com o nosso país…

Hoje em dia, o conceito de soberania tem alguma (muita?) relatividade. Com a globalização, digitalização e o mundo cada vez mais conectado, ligado e interdependente, a soberania de um País já não é bem o que era. E ainda mais quando a economia se sobrepõe à política, ao contrário do que acontecia há anos. Aliás, é bem visível o poder crescente que as grandes empresas, as grandes corporações, detêm actualmente, supranacionais, não ligando muito às fronteiras políticas de divisão de países. É verdade que cada país é soberano em relação ao seu território, ao seu espaço, às suas fronteiras. Mas nunca como hoje as eleições num certo país são acompanhadas e motivo de preocupação e ansiedade de outros. Basta atentar às recentes eleições nos EUA, na Áustria, na Holanda e agora em França, e ao referendo no Reino Unido, e a todas as consequências que daí advieram. E se por um lado grande parte das decisões de cada país já não está nas suas mãos, como são os casos da moeda única, da circulação de capitais, da supervisão e políticas bancárias, do espaço “Schengen”, da política agrícola, das pescas, entre outros, muitas outras estão de tal modo dependentes de terceiros e com repercussões imediatas nesses outros países, que a sua tomada de decisão não pode ser considerada um acto único e isolado.

Sem nunca perdermos a nossa identidade, a nossa história, a nossa cultura, é este o mundo onde vivemos actualmente…

Editorial publicado na edição de Maio de 2017 da revista Executive Digest

Recomendar
  • gplus
  • pinterest