«O processo de concentração no mercado não está encerrado»

José António de Sousa é um homem do mundo. Da passagem por vários países europeus e latino-americanos trouxe a experiência que lhe permite, há 14 anos, fazer crescer a Liberty Seguros. Fala sem pudor do que está errado no país e critica o «chico-espertismo» que ainda impera em Portugal.

Por Helena Rua

O crescimento orgânico num sector onde a concentração ainda não está concluída é a principal aposta da Liberty Seguros, implementada em Portugal em 2003 após a compra da Europeia pelo grupo norte-americano Liberty Mutual.

Desde esse ano, José António de Sousa tem as rédeas da seguradora nas mãos e tem sabido, como poucos, superar os desafios que o sector tem atravessado.

A experiência que trouxe dos mercados internacionais e estar na linha da frente no digital permitem-lhe ambicionar, a médio/longo prazo, chegar ao top 3 do ranking em Não Vida, com uma quota de mercado igual ou superior a 10%.

Leia este artigo na íntegra na edição de Março de 2017 da Executive Digest.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest