Nestlé inicia reestruturação

Em funções apenas desde Janeiro deste ano, o novo CEO da Nestlé está a preparar o grupo para tempos difíceis. Pela primeira vez desde 2005, a receita prevista não está entre os 5 e os 6%, mas sim entre os 2 e os 4%. De acordo com Mark Schneider, que é também o primeiro CEO contratado externamente em cerca de 100 anos, a Nestlé precisa de levar a cabo um processo de reestruturação.

Em entrevista à Bloomberg, o responsável avança que a Nestlé demorará anos a regressar às taxas de crescimento previstas ao longo da última década. Para alcançar de novo esse tipo de crescimento, o grupo terá de considerar eliminar alguns dos seus negócios. A primeira abordagem será sempre no sentido de recuperá-los, mas caso tal não seja possível a solução será vender.

Mark Schneider avança ainda que os custos de reestruturação poderão ascender a aproximadamente 500 milhões de francos suíços (469 milhões de euros), já este ano. O plano consiste em rever áreas da Nestlé que não têm uma ligação directa ao consumidor, incluindo a administração e redes industriais. Por outro lado, o CEO da Nestlé pretende expandir o negócio do café.

No ano passado, a Nestlé registou um lucro operacional de 13,7 mil milhões de francos suíços (12,8 mil milhões de euros), o equivalente a uma subida de 3,2%.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest