A arte perdida de pensar em grandes organizações

Muitos executivos em grandes empresas chegaram aos seus cargos pelo facto de terem atingido objectivos. Infelizmente, a propensão para fazer em vez de pensar pode deixar os executivos pouco preparados para os seus novos cargos.

Se pedirmos aos colaboradores de uma grande organização para abordarem um problema estratégico da empresa, o seu enfoque rapidamente passa para a apresentação de soluções. Quando perguntamos porquê, muitos respondem que não têm tempo para pensar.

Como chegamos a um estado em que os gestores não reconhecem que pensar faz parte do cargo? A resposta reflecte um enfoque na execução em muitas grandes empresas. Uma empresa torna-se grande ao descobrir um modelo de negócio de sucesso – e depois ao aumentá-lo. Isto exige o desenvolvimento de um sistema bem afinado com processos altamente uniformizados. Ser promovido num ambiente destes exige uma atenção quase única na execução. Por outras palavras, exige mais acção do que pensamento.

Leia este artigo na íntegra na edição de Agosto da Executive Digest.

Recomendar
  • gplus
  • pinterest