O sistema político…

Por Ricardo Florêncio

Os partidos políticos são hoje a base do nosso sistema político. É importante que consigam ter uma visão superior do real interesse do país

Poder-se-á afirmar que a nossa democracia ainda é demasiado jovem. Na verdade apenas tem 32 anos. No entanto, penso que é já tempo suficiente para concluirmos que o nosso sistema partidário, tal como está hoje montado, não funciona, não serve os objectivos do País. Não podemos estar sistematicamente aos ziguezagues, em relação a… quase tudo.

Portugal necessita de ter uma visão de, pelo menos, 10 anos. E precisa de manter uma linha condutora durante esses 10 anos, de modo a que todos nós, os cidadãos, os contribuintes, as empresas, os mercados, percebam para onde se quer ir e, principalmente, quais as “regras de jogo”. Não podemos estar a viciar, a alterar os princípios básicos. A dança constante dos impostos, quer nos directos, quer em todo o tipo de indirectos, arrasa qualquer economia. Não se pode estar a alterar todos os anos leis essenciais, como as do trabalho, as políticas de educação, de saúde, de transportes públicos, etc, etc, etc. É totalmente impossível e ingerível.

Contudo, há um problema: os partidos políticos são hoje a base do nosso sistema político e não se vislumbra que tenham muita vontade de alterar as regras vigentes.

Vamos ver se conseguem ter uma visão superior e ter as suas preocupações voltadas para o essencial, ou seja, o real interesse do País.

Editorial publicado na edição de Agosto de 2016 da revista Executive Digest

Recomendar
  • gplus
  • pinterest